Páginas

domingo, 13 de julho de 2014

Vejo-te Quero-te Idealizo-te



Permaneces, no meu pensamento, mais tempo do que pretendo. Tento abstrair-me, fugir, dissolver, mas fica difícil. És insistente e ruidoso. És cada vez mais incomodativo e até me pergunto se fazes sentido.


Vejo-te. Vejo a tua imagem em todo o lado. Mas não digas a ninguém – caso contrário o hospício seria o meu destino. Sim, por vezes até me sinto meio enlouquecida mas retoco o batom, passo o blush, e tudo parece mais nítido.


Quero-te. És o meu ser. És a prenda mais bonita - a melhor prenda de todas. Sabes aquele presente que as crianças aguardam meses a fio para receber no Natal? És a prenda que vejo em todas as montras e que quero ter comigo.


Idealizo-te. De todas as formas possíveis. Em qualquer uma delas és tudo o que quero. Permaneces agarrado ao meu pensamento, ao meu desejo, e à minha vontade. No que a ti respeita sou incauta. Subsisto na ilusão de seres o meu perdão.


Não quero suicidar os sentimentos nem tampouco os pensamentos mas dá para baixares um pouco o som? Dói-me a cabeça e mais minuto menos minuto passa-me o desvario. Amanhã talvez possas voltar. Talvez aí esteja preparada para a remissão. Aguardo a eternidade de forma ansiosa. Mas por agora vou só retocar a maquilhagem. Tenho de disfarçar as rugas que me fazes ganhar mesmo quando só penso naquilo que me fazes ansiar.

Sem comentários:

Enviar um comentário