Páginas

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Cuqui



Como esperado, o fim-de-semana foi de desgraça total. Comi mais nestes dias mais do que num mês inteiro – pelo menos foi a sensação que tive! – e sei que vou pagar caro quando for à balança mas são estes os momentos que ficam e valem a pena – sem arrependimentos.
Mas este ano o fim-de-semana incluiu uma surpresa inesperada…
Há dias tinha visto uma publicação no facebook da minha afilhada postiça em que mencionava que a sua gatinha tinha dado à luz 3 rebentos para adoção. Olhando para as fotos imediatamente houve uma gata em que pousei os olhos e fiquei semi-apaixonada.
(Nunca tive a pretensão de ter um gato. Ao longo dos anos sempre fui insistindo para termos um cão, porque adorava ter um, mas simultaneamente sabia que um apartamento e uns donos ausentes durante a maior parte dia eram fatores não muito abonatórios desta vontade. Por outro lado, um gato nunca foi animal que me atraísse. Aliás, sempre disse que gato não! Gostava mas não para mim.)
No fim-de-semana estivemos com a afilhada e a sua irmã sendo que esta última andava a pedir a todos os santos para ficar com os 3 filhotes sob a sua alçada. Não queria ter de se despedir de nenhum deles mas quando lhe falamos na possibilidade de ficarmos com um ficou extasiada. E depois daquele entusiasmo todo não havia volta a dar. Foi uma decisão assim meio em cima do joelho mas lá fomos a casa delas ver os filhotes.
Tinham-me dito que a mais sossegada não era aquela gatinha de pelo cinza e olhos azul que me havia cativado à primeira foto mas sim outra preta e branca. E foi a primeira em que peguei. Meiguinha que só ela mas ainda assim nem olhou para mim. O RP tratou de pegar na outra que sabia que me estava no goto e ela olhou logo para mim com aqueles olhinhos de derreter corações. De semi-apaixonada passei a apaixonada completa. Uns miminhos e acho que já nos tínhamos conquistado uma à outra. E foi assim que decidimos traze-la para a sua nova casa.
A viagem de Viana do Castelo até à Maia não foi fácil. Ela stressou que não foi brincadeira e cada vez que miava de queixume parecia que me estava a magoar fisicamente. A necessidade de a proteger desenvolveu-se à velocidade da luz. Quando chegou a casa ficou imediatamente calminha.
Passa a vida a roçar-se nas minha pernas e adoro quando estou a ver qualquer coisa e ela se mete no meio delas a ver o que eu estou a ver.
Não sei porquê mas acho que os dias agora vão ter outro sabor. É nossa nem há 2 dias mas já não a trocava por cão nenhum no mundo. 

Apresento-vos o novo elemento da família:
Cuqui

4 comentários:

  1. Agora são duas a mandar em casa!
    Sim, porque está visto que a gata a mim não obedece!

    Marido sofre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      Gosta mais de ti do que de chocolate. Mas gosta mais um bocadinho de mim - e assim é que deve ser!

      Eliminar
  2. Confesso que por esta não esperava ih ih ih
    RP. não te queixes, é o sonho de qualquer homem ter 2 gatas em casa ;)) Estou mortinha por conhecer a nova inquilina. Bjs P.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tchiiii... baba em abudância por aqui! :)
      As portas estão abertas e estou ansiosa por ver a reação da C.! :)
      Beijinhos

      Eliminar