Páginas

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Não te resisto


Quando te conheci não te prestei grande atenção. Quem estava comigo começou logo com grande alarido, a dizer com furor que eras um dos melhores, se não o melhor!
Não te conhecia, não apreciava muito o teu género e não te dei grande valor, aliás, até achei feio e sem piada… isto durante alguns anos! Quando te dei uma oportunidade fiquei agradavelmente surpreendida, mas nada que me fizesse lembrar-te com grande frequência.
O tempo foi passando e eu fui mudando, mas tu mantiveste-te inalterado. Os meus gostos voltaram-se mais para o teu tipo e atualmente é raro o dia em que não me chegas ao pensamento… no trabalho, em casa, penso demasiado em ti. Apetece-me tanto dar-te uma trinca:

 
Imperado da Avianense, não há delícia maior que esta! (Pronto, está bem! Só se for marisco!)

2 comentários: