Páginas

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Fazer o percurso por outro ou ensinar a andar

Aqui há uns dias tive uma situação em que uma amiga minha me disse (mais ou menos isto):
Ela tem de aprender a defender-se não posso estar sempre em cima a considerar todas as possibilidades correndo o risco de ela nunca perceber que tem de estar atenta.
Pessoalmente tenho muito a tendência de quando me pedem ajuda tentar fazer a coisa pela pessoa. Só não o faço quando não me é mesmo possível… e depois acabo por cair no ridículo.
Ou seja, a pessoa pede ajuda uma vez, eu mostro-lhe como aquilo é feito e pergunto: Percebeu? Para a próxima já sabe? Resposta: Sim, sim, percebi, obrigada!
Mas dali a 10 minutos precisa da mesma coisa e volta a pedir e no outro dia a mesma coisa, na semana seguinte repete-se a cena… a certa altura já me apetece gritar… DÁ PARA PRESTAR ATENÇÃO SFF!!!
Lembro-me muitas vezes de que estou demasiado habituada a fazer as coisas pelos outros e não a dar-lhes as ferramentas que precisam para se desenrascarem.
O problema é o tempo… esse maldito que nos escapa por entre os dedos. Sempre com mil e uma coisas para fazer e tão pouco tempo para conseguir.
Anotação mental para mudar: dar a cana e instruções acerca da forma de pescar, mas quem pesca é a outra pessoa.

2 comentários:

  1. Eu considero ser importante ensinar a andar.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Também me parece que sim. O problema é passar à prática...

    ResponderEliminar